6 de outubro de 2009


A HORA DO ADEUS
Ana Barreto


Ensaiei o meu adeus por vezes tantas
Tentando partir o último elo resistente
Tentando matar do amor essa semente
E te acenar nos lenços, em ondas brancas

Nem sei meu amor, porque te espantas
Ao ler minha palavra assim, tão contundente
Amargos frutos de meu coração carente
São os vestígios de lembranças tantas


É chegada, então, a hora da partida
Sem desespero, abraço ou despedida
Ouve as verdades que a ti deponho

Pois antes que qualquer dor seja sentida
Esconderei a minha lágrima contida
E fugirei pra morar dentro do teu sonho...

2 comentários:

alvesmmr disse...

ADOREI O SEU BLOG....
TÁ MUITO FOFO...
BJOS...........MAFISA

Cristina DG disse...

Amei seu blog...
Feliz natal e prospero Ano novo!